Entrevista com o Vampiro: A história de Cláudia

Home / Resenhas / Quadrinhos / Entrevista com o Vampiro: A história de Cláudia
Mari

Mari

Colaboradora em Com'Aboard Geek Culture
Você sabia que Mariana Pelissoli é colaboradora da Com'Aboard? Quer ler resenhas publicadas por ela? Confira abaixo! =] Se quiser conhecer mais sobre esta colaboradora, acesse "Nossa Equipe" no menu principal!
Mari

Últimos posts por Mari (exibir todos)

 

Entrevista com o Vampiro: A história de Cláudia é uma graphic novel baseada no bestseller de Anne Rice, contada do ponto de vista da pequena e letal Cláudia. Para mim, este é um marco na história dos quadrinhos já que eu nunca havia visto um trabalho tão bem adaptado e harmonioso, seja pela fidelidade a história, seja pela arte. Ashley M. Witter fez tudo tão belamente que é difícil acreditar que Anne Rice, a autora original da obra, resolveu ficar de fora do projeto.

foto-1Aparência de criança, com um olhar que mostra o quão velha ela é.


Ficha Técnica

Título original: Interview with the Vampire: Claudia’s Story

Autores: Anne Rice (História original); Ashley Marie Witter (Arte e adaptação)

País de origem: EUA

Editora (EUA): Yen Press

Lançamento (EUA): 2012

Editora (Brasil): Rocco

Lançamento (Brasil): 2015

Tradução: Daniel Ribas

Edição: 1

Volumes: 1

Preço: R$44,50


História

Uma linda menina, com cachos dourados e pele perfeita, é transformada em vampira ainda criança. Ela é criada por dois pais, Lestat e Louis. O primeiro, a ensina como ser uma vampira, e o segundo, uma criança. Lestat ensina a menina Cláudia como seduzir e matar e a enche de luxos que, como mortal, ela jamais sonharia em ter. Já Louis, a ensina a apreciar arte, música e poesia. Este estilo de vida dualista, torna Claudia uma vampira tão perigosa quanto os seus pais, pois sabe ser tão manipuladora quanto Lestat e com uma sede de saber ainda maior que a de Louis.

foto-2Vampira e criança

Com o passar das décadas, Cláudia perde sua inocência e os prazeres da vida já não a satisfazem mais. O tédio aumenta cada vez mais pelo fato dela não crescer e ela se torna cada dia mais amarga. Como adulta, Cláudia já não tinha o mesmo interesse em Lestat, antes belo e sombrio. Além disso, Louis parecia muito ingenuo ao ignorar sua natureza vampírica. A curiosidade de saber como foi criada, de onde eles vinham e se haviam outros, foi crescendo cada vez mais. Essa inquietude preocupava Louis e irritava profundamente Lestat, o que tornava a relação deles ainda mais problemática.

Podemos ver claramente o crescimento dela apesar de possuir sempre a mesma aparência, e isso é muito interessante!

foto-3Cláudia adulta


Impressões Pessoais e Curiosidades

Com um traço que mistura mangá com arte barroca, o estilo de Ashley M. Witter combina perfeitamente com a história. A graphic novel é inteira em tons de sépia, somente com o sangue em vermelho. Isso garante beleza e profundidade à história, já que dá a impressão de exaltar o que os vampiros tem de melhor e pior. A obra, foi considerada “espetacular” pela própria Anne Rice, e é pra fã nenhum colocar defeito.

O tratamento que a editora Rocco deu faz jus ao livro: capa dura e folhas lindas e brilhantes.

Vale lembrar que a história original também foi adaptada em um filme no ano de 1994 com um cast de dar inveja à qualquer produtor.
Nele temos Brad Pitt como Louis, Tom Cruise como Lestat, Antonio Banderas como Armand e Kristen Dunst como Claudia. E o roteiro original foi escrito pela própria Anne Rice!

foto-4
Kristen Dunst como Cláudia

Outra curiosidade é que em uma entrevista ao site io9 (que é muito interessante e pode ser lida aqui), a autora além de falar que gostaria que todos os seus trabalhos virassem graphic novels, falou também sobre uma polêmica que foi levantada sobre Louis e Lestat serem os primeiros vampiros pais de mesmo sexo, e entre risadas a resposta dela foi que sim! Que apesar de não ter pensado nisso na hora que escreveu a história, isto está absolutamente correto já que Cláudia é filha deles.

Agora só podemos rezar por mais adaptações das Crônicas Vampirescas, ou quem sabe das Bruxas Mayfair…

Se você gostou do trabalho de Ashley Marie Witter, pode conferir mais no site dela ou em seu DeviantArt.


Personagens Principais

 

Cláudia
Transformada em vampira ainda criança, ela manterá esta aparência eternamente. Com o passar do tempo, isso agrava ainda mais sua inquietude e raiva. Como criança ela é doce e, ao mesmo tempo, possui uma sede insaciável de matar (a filha perfeita para Louis e Lestat). Como adulta, ela se torna controladora e cínica.

 

 

 

Louis de Pointe du Lac
Louis é inocente e normalmente se recusa à ceder aos seus instintos vampirescos, tanto que nunca sai para caçar com Lestat e Cláudia. Aprecia a arte, a poesia e a música. Para ele, sem isso, a eternidade não faz sentido. Ensina Cláudia a tomar gosto pela arte também. O amor e culpa que sente por Cláudia o faz ser facilmente manipulado por ela.

 

 

Lestat de Lioncourt
É o criador de Cláudia e de Louis. É belo, misterioso e autoritário. Aproveita ao máximo o fato de ser vampiro e os luxos que isto lhe proporciona. Ensina a Cláudia a arte da sedução e o gosto por matar.

Estilo: 20 exp. O estilo rebuscado combina perfeitamente com a temática da história, e a escolha de usar tons de sépia ao invés de cinza foi genial! Contrasta ainda mais com o sangue e o fogo que são as únicas partes coloridas. Cláudia foi desenhada exatamente como eu a imaginava enquanto lia o livro. Além disso, a forma como a autora consegue demonstrar a idade dela através do olhar é espetacular!

Personagens: 20 exp. Para mim Cláudia é uma das personagens mais interessantes da série. A angustia de uma mulher presa em um corpo de criança eternamente é retratada com maestria na adaptação, assim como o relacionamento dela com os seus pais, que com o passar das décadas vai se modificando à medida que a protagonista amadurece.

Qualidade da plot: 20 exp. Para mim, uma das melhores adaptações já feitas. Apesar se contar apenas uma fatia da história do livro, por ser do ponto de vista de Cláudia que não participou dos eventos anteriores e posteriores, a sensação é a de leitura de uma obra completa. Tudo faz sentido, mesmo que não se leve em conta a obra original.

Cuidado com os detalhes: 20 exp. Como você sabe tudo o que se passa na cabeça de Cláudia, fica ainda mais fácil entender as atitudes da personagem. Nenhum detalhe é deixado de lado, a relação de amor e ódio entre ela, Louis e Lestat faz todo o sentido.

Empatia com o leitor: 20 exp. Se você já conhece a história original, não vai se decepcionar com a adaptação, e se nunca ouviu falar, não tem nenhum problema! Ao ler esta história você irá entender Cláudia ainda mais, já que ela também não fez parte do início da história. Apesar de ser um spoiler de parte do livro, não atrapalha a leitura do mesmo, já que dá ainda mais curiosidade saber quem são os outros vampiros que aparecem e também a história de Louis e Lestat. Ou seja, é uma graphic novel para todos que curtem histórias de vampiros e banhos de sangue. Ou para aqueles que apenas apreciem uma ótima história com belíssimas artes.

 

Deixe uma resposta

%d blogueiros gostam disto: