Bear

Juliana Yendo

Juliana Yendo

Sócia fundadora em Com'Aboard Geek Culture
Você sabia que Juliana Yendo é fundadora da Com'Aboard? Quer ler resenhas publicadas por ela? Confira abaixo! =] Se quiser conhecer mais sobre ela, acesse "Nossa Equipe" no menu principal!
Juliana Yendo

Últimos posts por Juliana Yendo (exibir todos)

Que tal embarcar em uma divertida aventura, com uma arte cativante e muitos easter eggs da cultura pop? Também estão prontos para conversar sobre uma quadrinista brasileira que vem ganhando destaque (com muito mérito, diga-se de passagem) no cenário nacional das HQs? Então precisamos falar sobre Bear, de Bianca Pinheiro.


Ficha Técnica

Título original: Bear

Autor: Bianca Pinheiro

País de origem: Brasil

Lançamento: 2014

Editora: Nemo

Edição: 2ª

Volumes: 3

Preço médio: R$34,00 – Volume 01; R$37,90 – Volumes 02 e 03 (23/11/2016)

Webcomic: http://bear-pt.tumblr.com/todas


Sobre a autora

Ganhadora do 27º Troféu HQ Mix (Novo Talento – Roteirista), Bianca Pinheiro vive em Curitiba, é formada em Artes Gráficas pela UTFPR e pós-graduada em História em Quadrinhos pela Opet. Bianca começou a publicar webcomics em 2012 e suas obras mais conhecidas são Bear e Mônica – Força, publicado este ano pela Editora Panini. Além dessas duas obras, a quadrinista é autora de Dora, Meu Pai é um Homem da Montanha e possui alguns short-comics independentes em seu blog (clique aqui para acessá-lo) que valem muito a pena conhecer!

 

biancapinheiro


Sobre a HQ

Originalmente concebido como uma webcomic semanal, com atualizações às terças-feiras, Bear ganhou a versão impressa de seu primeiro volume em 2014, pela Editora Nemo. O segundo volume foi lançado em 2015 e o terceiro, neste ano. Como os posts em seu blog são disponibilizados uma vez por semana por meio de 1 página publicada, Bianca procura “fechar”, na medida do possível, as situações da aventura em cada página, deixando o leitor curioso para esperar pela continuação na semana seguinte. Em alguns momentos, a autora cria gifs nas páginas, que deixam a leitura ainda mais divertida.

O formato do quadrinho impresso é mais alongado do que o convencional, devido ao fato de ter sido respeitada a configuração das páginas publicadas como webcomic. Além disso, a versão impressa possui alguns extras no final da HQ, como comentários da autora e curiosidades a respeito da história e seu processo de elaboração. A série está disponível digitalmente no blog da Bianca (clique aqui para acessá-lo) e fisicamente nas principais livrarias do país.

Bear narra as aventuras de Raven, uma garotinha de uns 6 anos, e Dimas, um grande urso marrom (ou seria alaranjado?). Tudo começa quando Raven se perde de seus pais e encontra Dimas em sua caverna no meio da floresta. Apesar de ser um urso rabugento e avesso a aventuras e confusões, ele ingressa na jornada de ajudar a pequena Raven a encontrar seus pais. Em que tipo de confusões um urso mal-humorado, que gosta de silêncio e paz, e uma garotinha tagarela e faminta poderiam se envolver?

bear2

A história está longe de ser pretensiosa ou megalomaníaca. Também não aborda temas pesados ou polêmicos. E é exatamente isso que conquista uma gama muito variada de leitores: a forma simples, porém bem-humorada, leve e inteligente que Bianca retrata a amizade e as peripécias de Raven e Dimas. Mais do que a missão de encontrar os pais da garotinha, o tema central é o relacionamento entre os protagonistas e as aventuras que os dois passam juntos.

Apesar do tema aparentemente simples, o roteiro é extremamente criativo e brincalhão. Os easter eggs deixam a HQ ainda mais rica, estreitando a identificação do leitor com a autora. É muito divertido se deparar com personagens e referências que fazem parte do universo pop (e da nossa vida). Além disso, é praticamente impossível não criar empatia pelos personagens – dá vontade de guarda-los num potinho! <3

 

pagina-33

 

É inevitável se encantar com o humor, a simpatia e a graciosidade da história e dos personagens! É evidente o talento completo da autora, pois tanto sua habilidade em criar diálogos descontraídos e divertidos, como sua competência em desenhar e colorir cada página contribuem para um resultado final muito bom. Recomendo altamente essa série para qualquer pessoa, especialmente se estiver procurando algo divertido, agradável e engraçado para ler – sério, ler Bear deixa o dia mais feliz, é muita fofura e criatividade emanando em cada página. Tenho certeza que ainda iremos ouvir falar muito de Bianca Pinheiro. Guardem esse nome e esse rosto, pessoal, e não deixem de conhecer mais sobre o trabalho dessa quadrinista!

Estilo: 20 exp. O desenho e as cores de Bear são demais! Os traços são simples, mas muito bonitos e cativantes. O estilo da HQ combina muito bem com a narrativa leve, despretensiosa e bem-humorada de Bianca.

Personagens: 16 exp. Praticamente impossível não amar os personagens! Desde os protagonistas até os personagens secundários (como a D. Pivara e o Rei G), todos são muito carismáticos à sua maneira. É bem divertido descobrir as facetas de cada um ao longo da história. Não sabemos praticamente nada sobre o passado de cada um, mas isso não prejudica a história por não ser um elemento fundamental para solidificar a trama – o foco são as aventuras mesmo, bem à la Hora da Aventura. Mas, algumas informações extras sobre os personagens são expostas pontualmente, especialmente no segundo volume, na Cidade das Crianças (Metódica) – que são reveladas de uma maneira bem legal por sinal.

Qualidade da plot: 16 exp. O roteiro é muito criativo e os diálogos são bem-humorados e descomplicados, o que faz a leitura fluir num ritmo bom. Não existe uma grande história super complexa e elaborada por trás, mas isso contribui para trazer ao leitor uma experiência descompromissada e divertida. Bear consegue cativar facilmente o leitor.

Cuidado com os detalhes: 16 exp. A ênfase da HQ são os personagens e os diálogos entre eles. Portanto, os detalhes se atêm a eles quase que exclusivamente. Em praticamente todos os quadros da história, são eles que estão em evidência. O ambiente e o cenário são elementos totalmente secundários e pouco detalhados – às vezes sinto falta de mais detalhes do entorno, mas não é nada que comprometa a experiência da leitura. Entretanto, é possível notar um desenvolvimento da autora ao longo da série, por meio da inserção de páginas mais fluidas, com quadros menos rígidos, e uma preocupação maior com o cenário no terceiro volume, em que a aventura se passa embaixo d’água (as artes são lindas!).

Empatia com o leitor: 18 exp. É incrível como Bear é uma história que não se limita a um grupo específico, gênero ou faixa etária. A HQ consegue encantar todo tipo de leitor, inclusive os marmanjos. Só não vou dar 20 exp, pois acredito que a experiência não seja completa para leitores que não tiverem um background legal para pegar as referências e easter eggs criados com tanto carinho pela autora (minha mãe por exemplo não perceberia/entenderia todos).

 

Deixe uma resposta

%d blogueiros gostam disto: