Noragami

Home / Resenhas / Mangás / Noragami
Mari

Mari

Colaboradora em Com'Aboard Geek Culture
Você sabia que Mariana Pelissoli é colaboradora da Com'Aboard? Quer ler resenhas publicadas por ela? Confira abaixo! =] Se quiser conhecer mais sobre esta colaboradora, acesse "Nossa Equipe" no menu principal!
Mari

Últimos posts por Mari (exibir todos)

 

Noragami, que pode ser traduzido literalmente como “Deus sem-teto/vira-lata”, é um mangá Shounen (ou Shônen) que está sendo lançado pela Panini bimestralmente. No Japão, se encontra no volume 16 (Set/2016) e ainda está em andamento. É uma série que já está bem grandinha, algo que deve ser considerado na hora de colecionar os volumes.

Gosto muito desta série, e quando lançou não tive dúvidas de que teria que colecionar, e que apesar do papel de jornal, conta com uma linda capa com ilustrações diferentes na frente e atrás.

A introdução ao mundo de Noragami  é bem interessante, e muitas expressões foram deixadas em japonês, o que eu gosto bastante. No final tem ainda um glossário que explica algumas expressões utilizadas, e um pouco da cultura japonesa dos templos.

O nome da série vem do estado atual do personagem principal Yato que é literalmente um “Deus sem-teto”, ou seja, ele não tem um Templo próprio onde as pessoas vão rezar e adorar ele, o que o coloca em um nível bem baixo na hierarquia dos deuses, e é daí que vem a graça do mangá, porque ninguém respeita muito Yato (hahaha), e por isso ele sai por aí procurando pessoas para ajudar e assim conseguir oferendas suficientes para erguer o seu próprio templo.

Outra coisa bem legal são as armas que os Deuses usam, as “Shinkis”, que são espíritos de pessoas, a ideia me lembrou bastante de outro mangá que gosto muito chamado XBlade (apesar de se tratar de pessoas transformadas em armas, e não os espíritos), alguém também conhece?

Um pequeno detalhe que adiciona drama e profundidade à história, é que os Deuses só sobrevivem graças a adoração das pessoas, e o fato de Yato não ter adoradores, o coloca numa situação muito complicada, pois ele pode literalmente morrer se ninguém acreditar e lembrar dele.

Noragami foi adaptado para o anime e possui dois OVAs, e é uma série muito popular. Como todo shounen, possui muitas lutas e pouco romance apesar de algumas cenas fofinhas (o que não me impediu de “shippar” os personagens hahaha), mas acho que leitores de todos os gêneros podem gostar deste mangá, é bem divertido!


Ficha Técnica

Título original: Noragami

Autor: Adachitoka

País de origem: Japão

Editora: Panini Comics

Lançamento: 2016

Tradução: Luciane Yasawa

Edição: 1ª

Volumes: 16+ (em andamento no Japão)

Preço Médio: R$13,90 | Compre na SaruDrop


Personagens Principais  

Yato

É um deus da guerra que sonha em ter seu próprio templo e seguidores, e para isso trabalha como “Delivery God” frequentemente deixando seu telefone em lugares públicos para que as pessoas que estão precisando de ajuda liguem para ele. Ele sempre cobra 5 Yenes pelo serviço, que é o valor comumente oferecido como oferenda em templos no Japão, e faz praticamente tudo por apenas uma moeda. Usa sempre o mesmo casaco para que as pessoas possam reconhecê-lo quando o verem.

Hiyori Iki

Filha de uma família respeitável, Hiyori é uma fã “enrustida” de artes marciais. Sofre um acidente ao tentar salvar Yato de ser atropelado por um ônibus, sendo atingida em seu lugar. Depois disso, começa a dormir involuntariamente e sua alma constantemente “escapa” de seu corpo ficando presa no limiar entre o mundo dos vivos e o mundo dos mortos.  Segue Yato porque fez uma oferenda para que ele “conserte” seu corpo, e sim, ele está enrolando a pobre menina.

Yukine/Sekki

Morreu ainda adolescente e sua alma foi transformada por Yato em uma Shinki, que quando transformado assume a forma de uma katana. É meio irritadiço e reclama constantemente por ter que ficar com alguém como Yato, é um dos personagens em que mais vemos o crescimento emocional da série.


Resumo por volume • SPOILER ALERT •

noragami

Volume 1

Yato é um Deus que sonha em ter um templo e ser adorado, o problema é que ele não tem nenhum seguidor! Na busca por seguidores, ele acaba fazendo com que a sua Shinki (arma espiritual) Tomone peça demissão, por ser “fisiológicamente impossível” trabalhar com ele. Mesmo sem uma shinki, Yato continua a trabalhar, e sua mais nova missão é encontrar um gato perdido, mas ao atravessar a rua para pegá-lo  Hiyori que está passando pelo local com suas amigas o vê e acha que ele vai ser atropelado, se jogando na frente de um ônibus para salvá-lo e sendo atingida em seu lugar. Agora ela se encontra no limiar entre os dois mundos (Entre Shigan, o mundo dos vivos e Higan, o mundo dos mortos), e acaba se tornando uma Ayakashi (criatura espiritual) mesmo estando viva, fazendo com que sua alma “escape” de seu corpo quando ela menos espera. Ela pede ajuda a Yato para que a ajude a voltar ao normal, mas ele diz que sem uma Shinki, não pode fazer muita coisa. Ela então decide procurar uma Shinki para ele, e acaba dando de cara com um Ayakashi formada por ódio, e achando que poderia ser uma Shinki, chama Yato para vê-la, ele ao dar de cara com a Ayakashi, pega Hiyori e sai correndo, encontrando no caminho a alma de um garoto que morreu adolescente, e mesmo não achando ser ideal, ele a tranforma em sua Shinki, Yukine/Sekki que possui a forma de uma katana.

Estilo: 20 exp. A arte é impecável, maravilhosa, detalhada e limpa, não tem como botar defeito! É o tipo de desenho que mais gosto.

Personagens: 20 exp. Os personagens principais são bem simpáticos e vão sendo construídos pouco a pouco e é impossível não gostar deles! Especialmente a Hiyori e a forma quase natural com que ela encara as mudanças em sua vida.

Qualidade da plot: 20 exp. A leitura é dinâmica, e tem um humor bem colocado, mas como é uma história bem grande, podemos ver que há muitos mistérios e coisas a serem respondidas. O mundo de Noragami é muito interessante se tratando do limiar entre o mundo dos vivos e dos mortos, e fala de coisas muito pesadas como bullying, morte e suicídio, mas sem ser dramático demais, e ainda consegue inserir humor no meio disso sem parecer forçado.

Cuidado com os detalhes: 15 exp. Como um boa série, tudo vai se explicando aos poucos, não deixando espaço para coisas não resolvidas, mas leva tempo, bastante tempo…

Empatia com o leitor: 15 exp. É um shounen bem divertido de ler, e creio que agrada um grande público, inclusive meninas, já que não possui excesso de ação e fã-services desnecessários (não é uma coisa que me incomode especialmente, mas quando a série acaba girando em torno disso, eu não gosto), coisas recorrentes em mangás deste gênero. Mas como é um mangá bem longo, e a série vai ser bimestral, acaba espantando um pouco leitores muito ansiosos.

 

Deixe uma resposta

%d blogueiros gostam disto: