Helter Skelter

Home / Resenhas / Mangás / Helter Skelter
Mari

Mari

Colaboradora em Com'Aboard Geek Culture
Você sabia que Mariana Pelissoli é colaboradora da Com'Aboard? Quer ler resenhas publicadas por ela? Confira abaixo! =] Se quiser conhecer mais sobre esta colaboradora, acesse "Nossa Equipe" no menu principal!
Mari

Últimos posts por Mari (exibir todos)

 

Um mangá perturbador sobre a ascensão e decadência de Lilico, a “It Girl” de sua época. Modelo, atriz e cantora de sucesso, Lilico tenta se manter no topo da fama apesar de sua inevitável queda de reputação. O volume único causa um extremo desconforto nos leitores, pois trás uma estranha familiaridade entre o mundo superficial em que a protagonista vive e a nossa realidade. Helter Skelter foi ganhador do “Prêmio Cultural Osamu Tezuka” e do Premio do Japan Media Arts Festival em 2004, além de nomeado em 2008 para seleção oficial do Festival Internacional de Histórias em Quadrinhos de Angolema na França (UFA, quanto prêmio!)

 

 


Ficha Técnica

Título original: Helter Skelter

Autora: Kyoko Okazaki

Gênero: Josei

País de Origem: Japão

Lançamento (país de origem): Julho/1995

Lançamento (Brasil): Julho/2016

Editora: New Pop

Tradução: Denis Kei Kimura

Edição: Caio Cezar

Volumes: Único

Preço Médio (capa): R$24,90


A História

“Algumas palavras antes de começar. Risadas e gritos são muito parecidos.”

Após várias cirurgias plásticas e uma manutenção cara e dolorosa, Lilico se torna uma das modelos mais famosas e invejadas de sua época. Todos querem ser como Lilico, ter o que ela tem, fazer o que ela faz e saber tudo sobre a sua vida pessoal e profissional.

Porém, todo esse sucesso vem com um preço à ser pago, e ela sabe muito bem disso.

 


A versão em inglês do mangá é ainda mais impactante: “Produtos cosméticos são como crack: Quanto mais você usa, mais você sente que precisa deles. Você começa a procurar por produtos cada vez mais fortes.”

 

Lilico tenta aproveitar ao máximo tudo o que sua beleza pode trazer: roupas, jóias, fama, dinheiro, poder e o fato de quase nunca sofrer as consequências de seus atos, pois para o mundo exterior, Lilico é mais que perfeita.

Mas quando os remédios e cosméticos não parecem mais funcionar como antigamente e as manutenções de seu corpo se tornam cada vez mais frequentes, ela sente que o fim está próximo. Assim como o seu corpo, sua mente começa a se deteriorar.

 


A deterioração do corpo e da mente de Lilico

 

E com a chegada de uma nova modelo na agencia, mais bela e jovem Lilico fica cada vez mais perdida. Ela sabe que está ficando velha e seu tempo está acabando. Seu corpo apesar de belo por fora, está apodrecendo por dentro.

 

 

Lilico é uma pessoa terrível, não tem como negar, ela tenta descontar nos outros toda raiva, tristeza e frustração que sente, mas é difícil julgá-la quando você vê o tipo de vida que ela leva e o quão doente essa indústria da moda pode ser. O medo de Lilico de ser deixada de lado, ser esquecida ou substituída, deixa-a cada vez mais neurótica e agressiva. Todos à sua volta começam a sentir as consequências do temperamento alterado de Lilico e sua agente, Hada, sofre mais do que qualquer pessoa o sadismo que Lilico começa a demonstrar.

Ela se sente no direito de fazer essas coisas, afinal, se vai ser esquecida, ela fará de tudo para se manter na mente das pessoas pelo tempo que conseguir (não importa como).

 

 


Helter Skelter

Apesar de a história ser antiga (o mangá foi publicado pela primeira vez em 1995), Helter Skelter é extremamente atual, pois a indústria da moda e das celebridades permanece a mesma, cíclica e destrutiva. Helter Skelter é expressão que significa “de maneira caótica e desordenada” (ou seja, se você faz algo helter skelter, você faz algo rápido e sem organização).

É também o nome de um tobogã em espiral encontrado em parques de diversões britânicos, e de uma música dos Beatles lançada em 1968. Mas o que tudo isso tem à ver com o título do mangá? Bem, eu creio que o título veio um pouco de tudo isso. Já que mostra Lilico no topo de sua carreira, e depois decaindo (como um tobogã), tudo isso de uma maneira BEM caótica.

 

 

Extra: Se você foi procurar Helter Skelter em sites de busca, provavelmente se deparou com algo sobre Charles Manson (um cara totalmente pirado), que em 1969 criou uma teoria “Helter Skelter”. Nela, os Beatles eram os cavaleiros do apocalipse que vieram à Terra anunciar o fim do mundo através de suas músicas, e após assassinar várias pessoas, ele e seu grupo escreveram “Helter Skelter” com o sangue das vítimas nas paredes. E eu tenho certeza de que isso não tem NADA a ver com a história.


Tiger Lily

Se você se ler a história, vai ver que o Promotor Asada chama Lilico de Tiger Lily, e eu acho que isso não seja apenas um trocadilho com o nome e a natureza de Lilico.

A minha mente doida que sempre está atras de conexões, crê que o apelido Tiger Lily vem da personagem de mesmo nome do filme infantil Peter Pan (no Brasil ela ficou conhecida como Princesa Tigrinha, nada a ver). Na história, ao saber de sua amizade com Peter Pan, Capitão Gancho a captura para que ela revele onde fica o esconderijo de seu amigo. No mangá, o Promotor Asada crê que, através de Lilico, conseguirá descobrir o segredo por trás da clínica de cirurgia plástica que realizou os procedimentos na protagonista. Por isso, ela é a carta coringa na investigação dele.

 


Live-Action

Devido ao sucesso do mangá em 2012, ele ganhou uma adaptação live-action para o cinema, com a atriz Erika Sawajiri como Lilico. Li que o filme tem a classificação 18+, então CRIANÇAS SAIAM DA SALA! xD

Você pode conferir o trailer oficial aqui, porém ele está em japonês e não tem legendas.

 

Poster do filme

 

Mas enquanto eu procurava por uma versão legendada, me deparei com esse MV feito por um fã, que na minha opinião mostra bem a atmosfera de terror psicológico do mangá e a loucura de Lilico. Eu não vi o filme, apesar desse vídeo ter me dado MUITA vontade de assisti-lo.

AVISO: Só clique nos links se for maior de 18 anos!


A imagem de capa

Uma outra curiosidade é sobre a capa do mangá.

Eu como boa viciada em moda e fotos de editoriais antigas, achei que já tinha visto a capa em algum lugar. Procurando um pouquinho mais, me deparei com a foto da modelo e atriz Edie Sedgwick no cartaz do filme “Ciao! Manhattan”. Coincidentemente (ou não) o filme é um conto semi-biográfico de Edie, que mostra a história de  Susan Superstar no tempo em que era uma estrela e musa de Andy Warhol e sua decadência em meio ao uso de drogas. A semelhança entre a vida de Susan e Edie é enorme e o filme termina com o anúncio da morte de Edie na vida real.

Edie Sedgwick foi uma das musas de Andy Warhol nos anos 60, apelidada de “It Girl” (uma garota que cria tendencias mesmo que inconsciente disso) pela imprensa americana. Era fumante, alcoólatra e viciada em remédios calmantes e sedativos, e morreu com apenas 28 anos de idade.

Um triste retrato dos excessos da vida de celebridade, assim como a vida de Lilico. Claramente, Lilico foi inspirada nessas pessoas que, apesar de aparentarem ter uma vida perfeita e luxuosa, quando as cortinas se fecham, se mostram infelizes e decadentes.

 


O desenho da capa claramente inspirado no cartaz do filme

 


A edição

A edição da New Pop está boa, com imagens coloridas e um papel pouco transparente. Para um mangá de quase 25 reais, eu esperaria uma capa um pouquinho mais dura, e um papel NADA transparente. Porém, fico feliz que este tipo de mangá esteja sendo trazido para o Brasil pelas nossas editoras, já que estamos em falta de mangás com conteúdo mais adulto, principalmente voltado para o público feminino (Josei).


Personagens Principais

Lilico
Era uma garota ambiciosa que se considerava feia, motivo que a fez aceitar fazer várias cirurgias plásticas extremas para ficar mais bonita. Porém, mesmo depois de muito sofrimento para chegar ao nível de celebridade, modelo, atriz e cantora, Lilico agora enfrenta as consequências de tantas cirurgias e se desespera ainda mais com o fato de saber que seus dias de fama terão fim. Mais cedo ou mais tarde, ela será substituída por outra modelo mais jovem e bonita.

 

 

 

Michiko Hada
Agente de Lilico é a pessoa que mais sofre com a personalidade distorcida de Lilico. É constantemente mal tratada e obrigada a fazer coisas que não quer.

 

 

 

Mama/Presidente
É a “criadora” de Lilico e também dona da agência em que trabalha. Apesar de parecer cuidar de Lilico, ela apenas quer se aproveitar da garota, já que foi graças à ela que Lilico se tornou a celebridade que é.

 

 

 

Kinji “Kinzinho” Sawanabe 
Maquiador da agência e o encarregado de esconder as marcas da deterioração do corpo de Lilico. Kinji é frequentemente subornado pela presidente para que não conte para ninguém o que está acontecendo com a protagonista. Muitos relatos da vida de Lilico no mangá são contados por ele.

 

 

 

Kozue Yoshikawa
Nova modelo da agência e potencial substituta de Lilico. Possui 15 anos e uma beleza natural. Não gosta da vida de modelo, mas como é a única coisa que sabe fazer, continua no meio apesar de ter que fazer sacrifícios, como deixar de estudar, para que isso aconteça.

Estilo: 15 exp. O estilo brusco da autora é um pouco estranho quando se começa a ler o mangá, mas com o tempo, você percebe que se encaixa muito bem na atmosfera da história e ilustra muito bem o estilo de vida doentio de Lilico. Porém, a arte não é muito convidativa.

Personagens: 15 exp. Lilico é louca, tirana, cruel e sádica, porém é impossível pensar nela como a vilã da história. Tem horas que o que mais você sente por ela é pena, além de tristeza por saber o quão caro ela pagou por uma vida fútil e que dura tão pouco tempo. Todos que a cercam também são envolvidos na sua loucura de tal maneira que não se consegue julgá-los (como a autora não faz).

Qualidade da Plot: 20 exp. É uma história fria e pesada, que mostra a realidade da fama da sua forma mais dura e cruel. Fica ainda mais impactante com a inserção de quadros pretos com pensamentos dos personagens (esses distribuídos ao longo do post). Além do propósito reflexivo, os quadros funcionam como uma espécie de pausa e conclusão para os fatos narrados.

Cuidado com os detalhes: 15 exp. Como explicado no final do mangá, normalmente uma obra sofre muitas modificações antes de ser publicada oficialmente. Porém, isso não aconteceu no caso deste mangá, já que tragicamente a autora sofreu um acidente e nunca se recuperou totalmente. Por isso, uma versão mais completa e revisada do mangá nunca foi lançada, então não podemos culpá-la de algumas pontas soltas ou do final meio inesperado.

Empatia com o leitor: 15 exp. Helter Skelter é um mangá perturbador e, assim como Vitamin no caso do bulliyng, mostra verdades que nós sabemos que existem e nos esforçamos para não enxergar. Por isso, recomendo bastante a leitura deste mangá, porque ele abre um pouco nossa mente e olhos para uma realidade que parece se repetir indefinidamente. Se você tem idade suficiente para ler essa história, ela é praticamente obrigatória.

 

Deixe uma resposta

%d blogueiros gostam disto: