The Forest

Home / Resenhas / Games / The Forest
Caio Racy

Caio Racy

Ex-colaborador em Com'Aboard Geek Culture
Você sabia que Caio Racy já foi colaborador da Com'Aboard? Quer ler resenhas publicadas por ele? Confira abaixo! =]
Caio Racy

Últimos posts por Caio Racy (exibir todos)

 

“Como o último sobrevivente de um avião que caiu, você se vê em uma misteriosa floresta, batalhando para permanecer vivo contra a sociedade de canibais mutantes. Construa, explore, sobreviva nesse aterrorizante simulador de sobrevivência em primeira pessoa.”

Tradução livre da página da Steam, link aqui.


Ficha Técnica

Titulo Original: The Forest

Genero: Ação, Survival, Indie, Horror

Lançamento: 2014.

Desenvolvedor: Endnight Games Ltd.

Distribuidora: Endnight Games Ltd.

Plataforma: PlayStation 4, Microsoft Windows.


Games de sobrevivência são muito atraentes no mercado atual, pois incitam o jogador a explorar lugares desconhecidos da maneira que quiser (e puder), descobrir novas características do ambiente, construir abrigos, produzir para subsistir, inovar, se preocupar com os eventos aleatórios da natureza e pensar rápido para escapar de uma situação de perigo iminente. The Forest consegue captar as ideias anteriores, mesmo sendo um jogo em “alpha”.  Melhor ainda, possui o grande diferencial de datas prévias de atualizações, indicando que não será abandonado como vários outros jogos de acesso antecipado do gênero.

A história é bem envolvente, embora inacabada. Você está em um avião com o seu filho descansando na poltrona ao lado. Aparentemente tudo está bem, quando você é alertado sobre uma forte turbulência… a partir daí, meu amigo, você não precisa ser  nenhum Albert Einstein para deduzir que alguma coisa extremamente ruim irá acontecer.Seu avião cai em uma mata fechada e você desfalece inconsciente (até aqui, nada que você não tenha visto em LOST). No entanto, ao acordar, você sente o drama que está por vir: primeiro, um grande alívio vem do fato de seu filho ter escapado da morte. Logo em seguida, surge a  angústia de descobrir que ele está nas mãos de um primitivo da região cujas intenções você desconhece.

 

está tudo destruido
Tudo destruído…

 

Você perde de vista o primitivo e, querendo resgatar seu filho a todo o custo, observa os hábitos dos habitantes locais que estão ao seu redor. Eles são índios aparentemente inocentes, mas minutos de observação mais detalhada revelam eque eles adoram uma” carninha”. Qualquer uma? Não, obviamente a de apetitosos seres humanos e você com certeza está no cardápio! Apesar de ser um jogo de sobrevivência, The Forest tem muitos elementos de terror. A exploração levará o jogador a perceber que os canibais, na verdade, é a menor de suas preocupações. Algo muito esquisito aconteceu naquele lugar e acredito que você descobrirá tudo do mesmo jeito que eu: na prática, do pior jeito possível.

 

tem alguem ali!
Tem alguém ali!

 

se fossem só os canibais...
Ah, se fossem só os canibais…

 

Com um cenário bem detalhado, animais silvestres, vegetação densa e ambientação imersiva, o jogo não perde em nada no realismo para títulos de sucesso. A simulação do ambiente também é muito bem feita com combinações de recurso-base, ciclos de dia e noite e criaturas locais que instigam o jogador a explorar e sobreviver por mais uma noite… e outra… e outra. É impressionante ver a evolução de quem inicia o jogo só com um isqueiro e um machado de emergência.

 

tem muita coisa
Pequeno inventário

 

muitos detalhes
Riqueza de detalhes absurda

 

O jeito com que a sobrevivência é trabalhada é um dos melhores que já vi. Coletar, caçar, pescar e construir podem ser ações bem mais desafiadoras e realistas do que você imagina. O grau de elaboração e complexidade de The Forest, mesmo em estágio alpha, está fazendo com que eu torça cada vez mais para que ele consiga ganhar espaço e ser lançado definitivamente.

História: 12 exp. A história parece promissora, porém ainda não está finalizada e irá levar algo tempo para que isso ocorra. Para um começo ela é bem forte e envolvente.

Gráficos: 18 exp. Gráficos são muito bons por ser um jogo em alpha, muito detalhado e ao mesmo tempo não muito pesados. Um ponto negativo é a falta de opções de escolha de resolução, alguns tamanhos de tela ainda não são suportadas.

Jogabilidade: 14 exp. Bem simples, com comandos no formato clássico FPS. Porém, alguns elementos são de difícil acesso, principalmente nas cenas de batalha e fuga dos canibais.

Replay: 9 exp. Apesar de ser um jogo survivor, após construir tudo o que é necessário e obter todos os equipamentos, por não ter história completa, não há muito mais o que explorar.

Som: 12 exp. Não tem uma trilha sonora característica, porém os sons da ambientação do jogo são muito bem desenvolvidos. É possível detectar o que lhe aguarda só pelos efeitos sonoros.

 

Deixe uma resposta

%d blogueiros gostam disto: