Mount & Blade

Home / Resenhas / Games / Mount & Blade
Helder Kazume

Helder Kazume

Ex-colaborador em Com'Aboard Geek Culture
Você sabia que Helder Kazume já foi colaborador da Com'Aboard? Quer ler resenhas publicadas por ele? Confira abaixo! =]
Helder Kazume

Últimos posts por Helder Kazume (exibir todos)

 

Quando falamos em RPGs medievais, logo vem à cabeça temas fantasiosos com magias e feitiços, seres mitológicos e calabouços com recompensas mágicas, não é mesmo? Mount & Blade está aí para provar que não é necessário um RPG medieval possuir características tão mágicas para ser considerado bom!


Ficha técnica

Nome: Mount & Blade

Gênero: RPG, Estratégia, Mundo Aberto

Desenvolvedora: Taleworlds

Distribuidora: Paradox Interactive

Lançamento: 16/09/2008

Plataforma: PC, Xbox One e PlayStation 4

Online: Não


Em M&B, seu personagem é criado baseado nas escolhas que você faz do passado dele, refletindo em pontos de atributos básicos distribuídos conforme escolhidos na história (exemplo: se você era ajudante de ferreiro, então você ganha bônus em ataques corpo a corpo devido à força exigida para forjar). Após essa parte, você pode customizar a face do seu personagem, mesmo sendo de forma bem limitada e desnecessária, uma vez que você cobrirá seu lindo rosto com um elmo pesado para aguentar os ataques que estão por vir (um ataque direto na sua cabeça pode causar sua morte instantaneamente se você não tiver proteção).

 

mountblade-10-1-2016-2-13-43-am-326-copy

 

Um diferencial do jogo é que não possui uma linha do tempo ou história a ser seguida, você que monta e dá continuidade da forma que quiser: se quiser ganhar reconhecimento se tornando um vassalo do rei ou um famoso ladrão, você decide! Claro que sozinho você não terá chance alguma, por isso, terá que recrutar camponeses nas vilas, ir às tavernas em busca de guerreiros a serem contratados ou até encontrar alguns companions, seus melhores aliados. Óbvio que os camponeses não serão camponeses para sempre, eles vão evoluindo à medida que você vai ganhando as batalhas, tendo a possibilidade de se tornarem cavaleiros! Contudo, diferentemente de você e seus companions, os camponeses tem seus atributos aumentados aleatoriamente.

 

mountblade-10-1-2016-2-12-01-am-500-copy

 

Um ponto bem interessante é a cronologia em Mount & Blade. Você assume o papel de uma peça num tabuleiro que, ao se mover, faz com que as outras peças se movam ao mesmo tempo! O tempo só passa quando você está se movimentando ou realizando alguma ação (acampando, participando de torneios ou mesmo esperando para realizar alguma emboscada). Em outras palavras, caso a coisa comece a apertar, basta que você pare de se movimentar para encontrar a melhor saída na situação. Mas não se engane! Se você ver que a situação está ruim, muitas vezes, é porque provavelmente já não tem volta.

 

mountblade-10-1-2016-2-19-16-am-69-copy

 

O sistema de batalhas entra em ação no momento em que você se encontra com outra “peça” do tabuleiro e decide atacá-la (ou eles decidem te atacar). A jogabilidade pode ser bem complexa  de início, mas quando acerta o timing, você fica imbatível contra inimigos comuns (eu sozinho montado à cavalo já derrotei  52 ladrões que tentaram a sorte), mas sempre será complicado batalhar contra vassalos ou reis. Durante a batalha, alguns de seus inimigos poderão ficar inconscientes e você terá a opção de levá-los como prisioneiros para depois vendê-los como escravos ou tentar a sorte e recrutá-los para seu exército (o que fará com que a moral da tropa abaixe). Quando julgar ter um exército impecável, poderá montar cercos nos castelos e conquistá-los! Mas tome cuidado com a formação do seu exército, pois quanto melhores seus combatentes, mais caro serão seus salários semanais.

Devido à idade do jogo, o gráfico é bem fraco e incomoda. A trilha sonora é tão monótona que causa a impressão de um jogo “sem som”. Mas, fora isso, a experiência vale a pena (é só jogar de fones no dia que estiver com espírito old school).

História: 20 exp. Você constrói a história do jeito que quiser!

Gráficos: 9 exp. O jogo foi lançado em 2008, mesma época de Elder Scrolls V: Skyrim, então não tem desculpas!

Jogabilidade: 20 exp. A jogabilidade é incrível! Poder escrever sua história em um jogo como se fosse um RPG de mesa. Acho que esse é um sonho de qualquer entusiasta do RPG.

Replay: 15 exp. Apesar de ser muito bom, o jogo acaba sendo cansativo pela trilha sonora deprimente.

Som: 1 exp. Poderia até deixar negativo nesse quesito, mas levando em consideração o quão fascinante é a jogabilidade, acabei deixando 1 positivo! ^^

 

Deixe uma resposta

%d blogueiros gostam disto: