Draw a Stickman: EPIC

Home / Resenhas / Games / Draw a Stickman: EPIC
Augusto Ferratti

Augusto Ferratti

Colaborador em Com'Aboard Geek Culture
Você sabia que Augusto Ferratti é colaborador da Com'Aboard? Quer ler resenhas publicadas por ele? Confira abaixo! =] Se quiser conhecer mais sobre este colaborador, acesse "Nossa Equipe" no menu principal!
Augusto Ferratti

Últimos posts por Augusto Ferratti (exibir todos)

 

Ahhh, desenho livre! Melhor atividade do período escolar! O seu único objetivo era formar vários riscos sem sentido algum em uma folha limpa de papel. Você estava livre para fazer o que quiser logo depois. Não sei vocês, mas nunca fui um exímio em desenhos, no único quadro que pintei me baseando em algum ser vivo (um galo, no caso) eu adicionei três estruturas anatômicas indefinidas (inexistentes na vida real) saindo das costas e  colori com as cores do arco íris seu Uropígio… (apêndice triangular que recobre as vértebras caudais das aves, onde se inserem as penas da cauda) Triste, porém, real! Minha mãe adora. E hoje em dia eu também, porque o importante foi a intenção de criar algo novo. E é essa intenção, meus amigos e amigas,  o elemento mais importante que te acompanhará durante a jogatina inteira do game Draw a Stickman: EPIC. Um jogo em que tudo dependerá dos seus belos desenhos para ter uma experiência épica.


Ficha Técnica

Titulo Original: Draw a Stickman: EPIC

Gênero: Aventura/Casual/Indie

Lançamento: Dezembro, 2013

Desenvolvedora: Hitcents

Publicadora: Hitcents

Plataforma: PC (Windows)/Celular e Tablet (Android, iOS e Windows Phone)

Nº de Jogadores: 1


História

O jogo começa com uma tela em branco e um pedido simples “Draw a Stickman“, que significa “desenhe um homenzinho de palitos”. Algo que bem conhecemos, pois qualquer um que inclusive se julgue ruim em desenho já fez um destes.

 

Meu “Stickman” ao lado da nave da Com’Aboard :,)

 

Após desenhá-lo, é possível caminhar com seu próprio “homenzinho” para qualquer lugar da folha. Em poucos segundos ele se sentirá sozinho. Para acabar com essa solidão, o jogo permite que você desenhe e nomeie um amigo para o seu Stickman!

 

Eu e meu grande amigo “Comaboard” !!!

 

Recém chegado ao mundo, seu amigo já quer sair do desenho onde vocês se encontram. Pede para que o siga até um livro jogado no chão, aparentemente inofensivo. O livro cria olhos do mal e dentes afiados e, de repente, engole seu companheiro. Sem relutar você decide salvá-lo, e se joga dentro do livro também! Note que essa amizade é a mais sincera do mundo, pois com apenas poucos segundos de convivência o personagem principal já arrisca a vida pelo próximo! Só por isso, melhor jogo, 10/10!!!

 

“Comaboard” sendo engolido…

Nesse clima de aventura e de busca pelo seu amigo que tudo começa. Mais tarde, a história ganha um sentido maior com a descoberta do vilão principal, mas para não estragar a história, digo que essa pode ser destrinchada a partir da coleta de “páginas’ espalhadas pelo cenário. Elas irão lhe explicar o como e o por quê dos personagens terem sido engolidos pelo livro!


Jogabilidade

A melhor e mais criativa parte desse jogo. Os comandos são basicamente andar e desenhar, mas como disse, imagine-se em um mundo em que quase tudo pode ser modificado por causa de seus desenhos! Inimigos que podem ser derrotados com o fogo que você desenhou, árvores cortadas com o machado que você desenhou, flores crescendo por causa da chuva que você desenhou. E o mais épico, a tela inicial do game modificada pelos personagens que você desenhou e nomeou.

 

Draw a Stickman: EPIC – The search for Comaboard (Tela inicial)

 

Não há nada mais engraçado que ver seu personagem andando de maneira desengonçada e modificando o cenário segundo sua vontade! O jogo não é totalmente editável, mas seus desenhos afetam diretamente o cenário e devem ser usados para resolução de puzzles variados. E como é possível fazer esses desenhos? É preciso utilizar um lápis diferente para cada função. Mas como assim? Deixe-me explicar melhor.

Lápis disponíveis:

 

Lápis – Fogo
O primeiro lápis a ser utilizado. Ele é capaz de queimar árvores e portas, explodir dinamites esquentar água, incendiar até coelhos D:  É necessário ter muito cuidado ao utilizar, pois é possível cometer suicídio facilmente com ele! Basta encostar por alguns segundos.

 

 

 

Lápis – Chave
Esse é primordial para abertura de portões e ativar alavancas/robôs. A chave tem durabilidade de três utilizações, após os três usos será preciso desenhar outra. Interessante que é possível desenhar a chave diretamente na mão do personagem, evitando o comando de “pegar” o objeto. Uma dica para economizar tempo!

 

 

Lápis – Machado
Responsável pelo corte de árvores que abrem passagens do outro lado do rio, confecção de abóboras que hipnotizam zumbis, quebra do ovo de dragões. O machado segue o mesmo esquema da chave, pode ser utilizado até 3 vezes antes de quebrar e pode ser desenhado diretamente na mão do personagem para economizar tempo.

 

 

Lápis – Nuvem
Duplamente multifuncional. A nuvem pode ser utilizada para fazer chuva, o que ajuda no crescimento de flores/plantas/árvores, preenchimento de panelas e baldes, assim como solidificação da lava. Porém, a nuvem também pode ser utilizada para criar uma tempestade de raios que atordoa os inimigos, acorda o Frankenstein do jogo e muda a direção de pedras (jogando estenderás)!!

 

 

Lápis – Capacete
Lápis escondido dentro do jogo! É necessário encontrá-lo no decorrer de uma fase. Serve para criar uma armadura ao seu redor, que protege de dois danos e logo depois quebra. A armadura não pode ser desenhada “fora” do personagem (desacoplada). Essencial para quem não quer se frustrar morrendo muito no game!

 

 

 

Lápis – Floco de Gelo
Utilizado apenas na fase especial de natal “Penguin Prison Break”. Serve para congelar tudo e todos, principalmente os goblins vestidos de papai noel!

 

 

Gozado que seja qual for o lápis utilizado, não é necessário desenhar exatamente o formato  do objeto correspondente (Ex: Chave – desenhar realmente uma chave). Qualquer risco contínuo que fizer será o objeto, o que torna o jogo muito mais engraçado!

 

Eu e minha bela chave!

 

O jogo conta com um sistema de fases que devem ser vasculhadas dentro do livro que engoliu você e seu amigo. Quase todas as fases possuem finais alternativos que podem te levar a outros níveis diferentes, mas para o mesmo final. Esse fator muda o gameplay de maneira drástica e aumenta a durabilidade do jogo se quiser zerá-lo com 100%. Dentro das fases há uma séries de puzzles para serem resolvidos, inimigos variados (abelhas, pedras que soltam fogo, dragões, zumbis, etc.) e muita interação com o ambiente. É necessário pensar um pouquinho e ter boa visão para resolver os segredos.

Ainda há em cada fase dois objetos escondidos, uma peça de quebra cabeça e um “monstrinho”  denominado “Color Buddy” que te dá uma cor em forma de círculo. A cor serve para modificar seu personagem a qualquer hora que quiser em uma opção do menu (pois o número de cores disponíveis no início do jogo é bem limitada – apenas 4).  As peças de quebra cabeça formam um quadro que , quando completo, te leva a um nível extra do jogo!

 

Livro sendo explorado!

Impressões gerais

Jogo diferente e criativo! Confesso que fiquei muito entusiasmado para jogá-lo! A durabilidade é curta, em torno de 2 a 3 horas para completá-lo com 100%.  As conquistas da Steam são as mais difíceis, se contar com elas pode adicionar mais algumas horas aí.

Me sentia dentro de desenho animado durante o jogo, em um ambiente engraçado. É possível dar risada até da forma que você morre, pois seu personagem emite uma voz fina, bem boba (não achei outro adjetivo)! Não tem como não rir. Quem olha de fora pensa: “Mas que jogo ruim, olha esses gráficos”, mas eu digo a vocês meus amigos, nenhum gráfico 3D supera a sensação épica de controlar esse palito desengonçado.

Confesso que fiquei frustrado e bravo algumas vezes, porque quando você morre (algo muito fácil de acontecer) não é possível voltar para um checkpoint, sendo necessário começar a fase do “0”. Isso pode gerar várias pancadas no teclado, na mesa ou em algum objeto perto de onde você se encontra. A trilha sonora é simples, o que a torna um pouco repetitiva e irritante, mas nada que supere a sensação mais que demais de resolver puzzles com seus desenhos. Cada fase é um desafio diferente!

Vale muito a pena jogar, o jogo é barato e pode ser baixado em versão “demo” nos celulares. Conta ainda com uma DLC chamada “Friend’s Journey” na qual vivemos a aventura na perspectiva do amigo.

 

Caminhando de boas pela fase.

História: 10 exp. Não é o ponto forte aqui, bem simples e bobinha, mas responsável por gerar toda aventura do game.

Gráficos: 20 exp. Amadores do 3D perfeito e bonito, me desculpem, mas esse jogo é uma obra de arte! Impossível não se sentir dentro de um desenho do jardim da infância, todo jogo é bem desenhado e os seus desenhos são interativos. Gráficos cartoon caíram como uma luva!

Jogabilidade: 17 exp. Inovadora e fácil, sem muitos segredos, apenas desenhar e andar. O que é um pouco frustrante é a dificuldade de executar as ações de maneira rápida, em um momento de desespero é muito provável que você se embanane todo e morra. Aliás, é muito fácil morrer nesse jogo.

Replay: 10 exp. É legal voltar para coletar tudo o que pode ter sido deixado para trás e conseguir todas as conquistas, passará horas nisso! Mas você não vai querer voltar depois de tudo estar completo, não terá sentido.

Som: 10 exp. Dançante, jogue com um fone! Irá aproveitar por alguns  bons minutos. Espere uma hora, não irá aguentar mais ouvir as músicas, mesmo que temáticas, boas para animação, enjoam. Os efeitos sonoros são engraçadíssimos, vale muito a pena!

 

One Comment

Deixe uma resposta

%d blogueiros gostam disto: