Love Letter

Home / Resenhas / Card Games / Love Letter
Helton Kazume

Helton Kazume

Colaborador em Com'Aboard Geek Culture
Você sabia que Helton Kazume é colaborador da Com'Aboard? Quer ler resenhas publicadas por ele? Confira abaixo! =] Se quiser conhecer mais sobre este colaborador, acesse "Nossa Equipe" no menu principal!
Helton Kazume

Últimos posts por Helton Kazume (exibir todos)

 

Love Letter é um jogo de cartas ambientando em uma monarquia clássica. Foi publicado originalmente em 2012 por Seiji Kanai e trazido ao Brasil pela Galápagos Jogos. É um party game que varia de 3 a 4 pessoas. O tempo por partida dificilmente excede 30 minutos. Não possui muitos componentes físicos, o que barateia o jogo e gera um custo-benefício legal.

Dentro da embalagem você encontrará:

  • 20 cartas (16 de jogo e 4 de auxílio)
  • 1 porta-cartas de veludo
  • 1 manual de instruções

O objetivo é enviar uma carta à princesa que se encontra inacessível por decreto do rei. Para isso, você precisa acumular corações (marcadores) que variam com a quantidade de pessoas na mesa. A influência das cartas, aliada à capacidade de blefe de cada jogador, lhe auxiliam (ou não) a conseguir ajuda de intermediadores do palácio. Mas, cuidado: outros jogadores podem usar destes mesmos artifícios para tirar você da rodada!!

Para receber um coração da princesa há dois caminhos:

  1. Eliminar todos os outros jogadores da rodada.
  2. Se sobrar mais de um jogador, ter a carta com maior valor de influência.

Parece simples, não? Apesar de simples, o jogo requer atenção e  raciocínio para aumentar as chances de vitória sem ser interceptado pelos outros players.

É um ótimo card game para se jogar com a família ou amigos. Poucas regras que, assim que decoradas, garantem fluidez ao jogo. Resumindo, Love Letter é um jogo simples, porém bem elaborado. Diversão garantida na certa (e intrigas quando alguém lhe tira da rodada).


Ficha Técnica

Título original: Love Letter

Criador: Seiji Kanai

Tempo Médio: 20 min.

Número de Jogadores: 2 – 4

Lançamento: 2012

Distribuidora: Galápagos Jogos

Mecânica: 16 exp. Não tem muitas regras e flui naturalmente assim que aprendido. Mas as explicações do manual são um pouco confusas, exigindo uma leitura atenta para o entendimento. Aprender com alguém que já joga é muito mais simples do que ler o manual.

Dinâmica: 16 exp. Apesar de precisar ficar atento nos jogadores e de estratégia, sempre há interação entre os participantes.

Sorte/Estratégia: 15 exp. Precisa de mais sorte do que estratégia, mas ainda sim precisa pensar para ganhar o jogo. A sorte sobressai por causa das cartas que você vai tirar.

Replay: 20 exp. O replay é espetacular. O jogo não cansa, não toma muito tempo até o termino, exige estratégia, além de ser descontraído e divertido. Impossível jogar uma vez só.

Design: 13 exp. É um jogo de bolso, compacto e fácil de carregar. Componentes com acabamento excelente: cartas bem desenhadas, porta-cartas de veludo combina com a temática do card game. A única ressalva: a primeira impressão não convence muito (sobretudo a caixa). Não se pode julgar o “livro pela capa”, mas muitas pessoas ainda não experimentaram o game pelo design, sobretudo, da embalagem.

 

Deixe uma resposta

%d blogueiros gostam disto: